quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Viva

Nesta vida nada é para sempre, a morte sempre é certa.

E como ela é atrevida, chega sem pedir licença,

sempre na hora mais imprópia.

Pisando duro, passando por cima, esmagando á todos

que estão a sua volta, arrebentando-nos por dentro,

exigindo de nós algo irreal, sobrenatural.

Lágrimas sucessivas lágrimas, porque amamos tanto,

nos apaixonamos demasiadamente.

Pra que se futuramente nos deparamos com ela, sempre ela.

Tantas mortes em um dia só, famílias dissipadas,

vidas apagadas, páginas viradas.

Historias mal contada, ou melhor, inacabadas.

Sofro só de pensar quero muito viver e amar.

6 comentários:

Carol Rodrigues disse...

lindo!!!
engraçado que, desde a epoca da escola, eu aprendi que não devemos analisar poemas, apenas ler e sentir
deve ser por isso que não sei o que dizer quando leio um poema lindo como esse
;o)

desculpe a demora em vir
mas o link q vc deixou na sua assinatura de comentarios estava errado
tava faltando um ponto [.] antes do blogspot.com
;o)

Mestre disse...

A grande maioria de nós tem medo da morte. Não devia, é certo que virá, por isso para que passar os dias pensando nela e perdendo a beleza da vida?
Obrigado por sua visita, volte sempre que desejar. Eu sei que vou voltar para a visitar.
Beijo suave

Milla Loureiro disse...

amiga seus textos estão cada dia melhores.

Por isso tem um presente p vc no meu Café, espero que goste!

Edna Federico disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Também gostei do seu blog.
Beijo

Milla Loureiro disse...

Nanda, agora so escolher com muito cuidado quem merece o selo...

Já descobri o que houve com o outro blog, ele tava na conta do gmail, mas ja o exclui!!

depois te explico!!

bjs

Lia Noronha & Silvio Spersivo disse...

Amar é sempre um caminho perfeito...apesar dos descaminhos!
Abraços e obrigada pelo carinho no meu Cotidiano.