domingo, 25 de abril de 2010

Instantes


Já anoitecera e eu estava ali, presa as lembranças.


Depositava toda minha expectativa naquele momento.


Almejava com muita veracidade, que o aparelho tocasse.


Um toque qualquer, com o sem melodia.


Desde que ouvisse aquela voz rouca novamente


Por horas eu estava ali, olheiras á vista, rosto inexpressivo.


Já anoitecera, o dia está nascendo, um novo instante está pra chegar.


Tudo pronto para nós, na maior perfeição.


Eu vacilo, cochilo, mais acordo a todo instante.


Distraio-me com o assobiar do vento.


O telefone ensiste em calar;


Mais eu não desisto, estou a esperar.


Perco minha vida em confiar,


mais não perco a certeza do amar.


Por Nanda Nascimento



Beijos e flores!



6 comentários:

Adriana disse...

Qundo se perde a certeza de amar a vida não tem mais graça!
bjs

Valéria disse...

Expectativas, ilusões e desejos multiplicam-se tanto mais quando há esperança? Penso e não chego a conclusões.

BeijoooO

Troll disse...

Parece que é a espera que pode fazer tudo valer a pena, certas horas. *rs* Prazer lê-la de novo, caríssima.

Bordados e Retalhos disse...

Fernanda, não perca nunca esperança e não deixe nunca de amar. Vale sempre a pena ainda que não achemos agora. Vale a pena. Bjs

Amapola disse...

Que lindo, Nanda.
A esperança torna realidade, os nossos sonhos.

Um grande abraço, amiga.

Lucas Bernardo disse...

Fernanda você tem que ser escritora... Nossa que lindo... Onde você se inspirou para escrever isso?
Ah, antes que eu me esqueça,eu criei mais um blog, depois quando puder faça uma visita. O endereço é:

lucasbernardo14.blogspot.com

Beijos!!!!!!