segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Finjo não ver

Finjo não ver que me olhas

E me reprova, com um sorriso fugaz.


Finjo não ver que me queres e me deseja

Algo natural


Finjo não ver que me segues

e arranjas desculpa para me acompanhar


Finjo não ver que se encanta

quando solto aquela gargalhada


Finjo não perceber que se acalma

Quando ouves minha voz


Finjo não reparar que se emociona

Quando me ver chorar


Finjo para ti e você pra mim

Vamos vivendo assim.


12 comentários:

Mulher é tudo bandida disse...

A pergunta vem a ser: Quando deixar de fingir e passar a viver?

Bela poesia. Limpa, clara e direta com vontades.. gostei

Beijos, moça e bom fim de semana!

Márcio Alexandre disse...

...e por tanto fingir esqueci que era hora de dizer a verdade e vc se foi. Entre um momento e outro se fez presente o gosto que a verdade não tira, mas só que agora não sabes se é fingimento o ato de dizer que a verdade foi falada.

Abraço.

http://disseminah.blogspot.com/

R@Ser disse...

Nanda que lindo poema!
Bjim

camiles disse...

que triste...

Mestre disse...

Finjo que sei do que falo...
Porque não deixam de fingir e começam a viver?.
Beijo...meu

» NaY « disse...

E com todo esse fingimento a vida vai passando e o que poderia ser vivido (e não fingido) vai perdendo a oportunidade de se viver...
Triste e lindo!
Como muita coisa na vida!
=)

Xerus
=*
=*
=*

Salve Jorge disse...

Se fingir
Irá cingir
Ao invés de urgir
O que não se vê
O que poderá fazer
O arbítrio de você
Que finge tão bem
Mas finge também
Não perceber
Que eu finjo não ver
Que me olhas
Enquanto espero
Com esmero
Por você...

R@Ser disse...

Nandinha..passando para um chá.(hihihih).

Bjim amiga.

Diva disse...

No fingir... a necessidade... a vida.
Bjs meus

R@Ser disse...

Passando pra te desejar um ótimo fim de semana!
Bjim

» NaY « disse...

Estou cansada de fingir...
De jogar com minhas máscaras!
=/

Xerinhus =***

Somente EU mesma disse...

Oie amiga...

É verdade, infelizmente a vida é uma eterna fantasia... Um ex patrão meu já me dizia que nós tínhamos que viver na Ilha da Fantasia, sempre fingir, eternamente fingir...

Obrigada pelo carinho,

Bjs

Janaína