segunda-feira, 10 de março de 2008

Som da verdade



...Mais que um

Desejo

Um atalho

Uma busca incessante

a descoberta do acaso

Um reencontro

exaustante

O destino em retalhos

Passos vagos

Delírios reais

Encontrando a realidade

Devastada com o

som da verdade

espalhando as pétalas ao vento...



16 comentários:

Cackau Loureiro disse...

o vento tem o dom de espalhar as coisas, muitas vezes até a nossa alma!

Muito lindo isso ai!

Uma vencedora... disse...

Ai amiga,

Tenho andado tão sensivel e fragil, que quase chorei quando li o seu poema...

Maravilhoso!!!

Tenho estado sumida, porque ou eu me formoaté agosto, ou me formo... Não tem mais saída, tenho que ralar mesmo...

Bjs

Janaína

Otávio disse...

É muito bom iniciar o dia lendo um bonito texto. Parabéns! Pelo texto e pela imagem, belíssima.

Querubina disse...

Que lindo :)

Beijufas de Luz!!

Marco Ferreira disse...

Bonito poema.

Excelente o facto de poder ser lido de 3 maneiras.

marinheiroaguadoce a navegar

*Mascote* disse...

É lindo o poema!!!

Bjinhx

BANDEIRAS disse...

Oi,

Adorei post anterior, e mais este lindo poema.
O importante na vida é continuar a viver...
abs

Jacinta disse...

Gosto do movimento que se tem no poema. Parece onda: que vai e vem, vento: que vai e vem...
Um abraço
Jacinta

Oliver Pickwick disse...

Uma bela alegoria acerca do fim do amor, com versos criativos e intensos.

"Encontrando a realidade Devastada com o som da verdade espalhando as pétalas ao vento..."
Este desfecho é nitroglicerina pura!
Beijos!

Marco Ferreira disse...

Continuação de boa semana.

marinheiroaguadoce a navegar

Adriana disse...

Que beleza.é bom terminar o dia lendo seus posts.Beijos.

*Mascote* disse...

Vem aqui espreitar pra ver se tinhas novidades mas não tens , mo entanto, deixo na mesma aqui a minha marquinha ;)

Bjinhx***

Adriano Caroso disse...

Lendo esse seu poema lindo lembrei de uma coisa: você as PÉTALAS que lhe dediquei? http://adrianocaroso.blogspot.com/2008/02/ptalas.html

Beijos!

Adriano Caroso disse...

Desculpe, quis dizer você viu?

Carol Barcellos disse...

As pétalas espalhadas ao vento, cheguei a fazer o quadro mental...lindissimo poema! É tão triste quando as pétalas se espalham, mas....assim é a vida.
Gostei de poder ler o poema de várias formas diferentes!!!

Beijocas doces cristalizadas, e um domingo cheio de pétalas...bem juntinhas!!! :o*

Alexandre Hallais disse...

Olá Nanda!

Linda voz poética que alimenta meu corpo febril.
Tuas linhas delinearam a passagem estreita da magia de iluminar os olhos alheios.

Lindo texto.

Beijos

Alê